Muitos empates e algumas viradas impressionantes. Como a do Guarani, iniciada aos 45 do segundo tempo. E aí me pergunto: será que Silas dará jeito no Flamengo? Esse tipo de derrota mostra claramente que o problema não é só técnico (apesar das caneladas do Val Baiano que poderia ter definido o jogo antes).

Outra virada foi do Palmeiras pra cima do Atlético/MG. Era o duelo de dois grandes times em má fase e de dois grandes técnicos da década passada. Deu Felipão, deu Palmeiras, porque de fato é quem está melhor entre os dois. O Galo está insistindo com o Luxemburgo, o que até poderia ser elogiável, não fosse a evidência de que o trabalho não evolui, mesmo com bons jogadores a disposição. Já estão criando raízes no Z4, e depois pode ser tarde… Quanto ao Palmeiras, é nítido que quando conta com Marcos Assunção e Kleber tem um salto de qualidade muito grande em relação ao time que tomou de 3 (três) do outro Atlético.

Por falar no Atlético-GO, outra partida de gala do Elias, que já tinha feito três contra o Palmeiras, e fez dois golaços ontem. Só que o Vandinho também fez dois, e o jogo contra o Avaí terminou empatado.

No Maracanã, Rogério Ceni (ou “A Bicha Velha”, como é conhecida pelos rivais) se empolgou. Fez gol de falta, depois de muito tempo, defendeu penalti no final do jogo, garantindo o empate com o líder em 2 a 2, e deu a seguinte declaração:

foi bom marcar meu primeiro gol no Maracanã antes de fecharem para as reformas da Copa, porque pode ser que daqui quatro anos eu não esteja jogando

“Pode ser”?! Como assim, “pode ser”? Realmente, desconfiômetro não é para todos. Alguns tem, outros não. LARGA O OSSO, Rogério!

E o Ronaldo voltou! Digno de nota, mas nada relevante, exceto pelo fato de que o Cornithians mandou e teve controle do jogo enquanto o fenômeno esteve em campo. Depois de sua saída, o Vitória poderia até ter empatado. O meio campo, que há alguns dias eu afirmava aqui ser o melhor do Brasil, inexistiu. Elias e Bruno César podem mais, mas pareciam ontem estarem tomados pela indolência e pela soberba. Jucilei foi sacrificado pela ausência do Ralf. Mas valeu pelos três pontos e principalmente pela festa, que começou na sexta, com a escolha do estádio da Fiel para sediar os jogos da Copa de 2014 em SP, teve sequência no sábado com o anúncio do lindo manto do centenário e da República Popular do Corinthians (idéia bacaníssima), e continuará por toda a semana, com as festividades do nosso centenário.

E paralelamente à programação oficial do clube, haverá no Museu do Futebol, no Pacaembu, a Semana de Cultura do Centenário, uma idéia realmente muito bacana e inteligente, que só poderia ter partido da própria Fiel, através de um grupo de pessoas sem qualquer ligação com o clube, exceto a paixão e o orgulho de ser corinthiano. Entre essas pessoas, minha amiga Lara Beppler.

Quem for corinthiano e morar na capital, tem que ir!

E quem não for corinthiano

(brincadeirinha)

anderson

One Response to “Brasileirão 2010 – 17ª Rodada”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *