Que feio, depois de mais de um mês sem escrever no blog, estou apelando para um texto velho. Este foi escrito no blog antigo, o Rapsódia, em 12/04/2005. Mas há pelo menos duas boas razões (desculpas) para eu requentá-lo aqui, agora. O primeiro, óbvio, é pra tirar a poeira de cá e ir aquecendo paraRead more »

Li o trecho abaixo ontem, no livro Praticamente Inofensivo, do Douglas Adams, e me lembrei dele agora, ao ler o post Como Nossos Pais, da @subversiva. Vivemos em tempos estranhos. Também vivemos em lugares estranhos: cada um em seu próprio universo. As pessoas com as quais populamos nosso universo são sombras de outros universos inteirosRead more »