• Durante toda a competição vi brasileirinhos tirando onda após cada tropeço da Argentina, e em seguida vendo o Brasil cair no mesmo erro. E nem assim aprendiam, pois continuavam zombando dos hermanos e pagando mico logo em seguida. A verdade é que a campanha das duas potências foi praticamente idêntica. Dois empates sofridos e decepcionantes nos dois primeiros jogos, e uma vitória convincente no terceiro jogo. Aí caíram nas quartas contra os países teoricamente subsequentes em força futebolística, nos penaltis, consagrando como melhor do jogo o goleiro adversário. E cada qual com seu mico. O dos Argentinos foi ter jogado mais de 45 minutos com um jogador a mais, e não demonstrar superioridade em nenhum instante. Já o Brasil foi superior o tempo todo contra o Paraguai, mas não fez o gol. Nem nas quatro cobranças de penalidades.
  • Já ouvi todo o tipo de teoria para o vexame brasileiro nos penaltis. De fato o gramado prejudicou, isso foi notório. A questão é que o Paraguai se adaptou rapidamente ao problema, e praticaram cobranças simples, no meio do gol. Os brasileiros… Bom, os brasileiros pareciam estar alheios ao que estava acontecendo.
  • Por mais vergonhoso que tenha sido, o Brasil não perdeu essa Copa América nos penaltis. Perdeu durante todo o jogo, em que foi melhor o tempo inteiro, e não soube fazer os gols. Problema que vem se repetindo já há vários jogos (exceção feita ao jogo contra o Equador). E como não vamos participar das Eliminatórias para a próxima Copa, teremos pouca ou nenhuma referência decente para avaliar a evolução desse time. Se serve de consolo, campanhas pré-Copa quase nunca dizem nada sobre o desempenho no Mundial. Basta lembrar que para as Copas de 94 e 2002 nos classificamos às duras penas, e vencemos. Já para 2006 e 2010, chegamos com ótima campanha, e caímos fora rapidinho. Mas eu ainda preferia o Muricy.
  • Nem a eliminação do time da casa para o bom time uruguaio, nem a derrocada brasileira contra o chato time paraguaio… As grandes zebras das quartas-de-finais, para quem acompanha a competição, foram as classificações de Peru e Venezuela. O Peru, para quem não sabe, foi para a competição com nove desfalques importantes, como Farfán e Pizarro. Pra não falar do Corinthiano Cachito Ramirez (:P). E a Venezuela, que já não é aquela Venezuela saco-de-pancadas, mas também não é uma maravilha, eliminou o que pra mim era o melhor time da Copa América: o Chile.
  • Ouvi muita piada de anti-corinthiano no Sábado a noite pelo fato de o único a ter perdido penalti na eliminação argentina ter sido o Tevez. Mal sabem que essa eliminação precoce facilitará ainda mais o retorno do Carlitos para o Timão, já que agora o jogador está livre para falar com os ingleses e definir essa situação. E quem sabe já ser apresentado à Fiel Torcida! Ou não…
  • E por falar em futebol de clubes, confesso aqui meu alívio (e minha risada) ao ver o anúncio do novo técnico do time do Jardim Leonor. Não é que seja impossível o Adílson Baptista ter bons resultados lá (e certamente no começo terá), afinal, até o Tite está fazendo boa campanha neste Brasileirão. Mas é fato que se o São Paulo se credenciava ao título com as ótimas contratações que vem fazendo (Luís Fabiano, Cícero, Denilson…), apostar em um técnico que teve três fracassos pitorescos em menos de um ano…
  • Para alguns clubes, perder para o Corinthians causa abalos sísmicos. O time de chorões do sul que o diga…

anderson

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *