Eu gosto muito do formato revista (em papel mesmo). Acho uma leitura prática, boa para ser feita circustancialmente, diferentemente de livros que exigem tempo e continuidade (mas claro que também gosto deles). Muita gente argumenta que o que sai em revista “tem tudo na Internet, e de graça”. É verdade, mas o notebook é um tanto quanto desajeitado para ler deitado no sofá, você não leva o notebook pro banheiro (pelo menos eu espero), e a tela do seu Smartphone é pequena. Além disso, mais do que disponibilizar os textos, a revista tem todo um conceito para formatar e “peneirar” os textos e pautas. E é isso que me interessa.

Então mês passado resolvi procurar pelo menos duas revistas para eu ler mensalmente. Pensei em ter uma mais técnica, mais próxima a minha área, para que eu possa saber das novidades sem depender de links fortuitos no twitter; e outra mais diversa, com curiosidades, conhecimentos gerais, típica revista pra ter assunto depois.

Mas quais? Como escolher? Afinal, é uma compra que valerá por pelo menos um ano. Há tempos eu não comprava um exemplar isolado, e a última assinatura que fiz deve ter sido da Placar, na adolescência (o que vale dizer que quem o fez, de fato, foi o meu pai).

Resolvi ir a uma banca e escolher algumas revistas que me parecessem atraentes, para que eu fizesse uma experiência, antes de fechar a assinatura. Foram cinco as escolhidas, e agora posso abstrair minhas opiniões sobre cada uma delas.

Revista Info (Editora Abril)

Eu pensei, bom, se preciso de uma revista da minha área, para manter-me atualizado sobre as novidades, que tal a mais conhecida delas? Tisc… A Info não é uma revista para profissionais de informática. É uma revista para consumidores de tecnologias.

Como bem disse minha irmã, “é mais fácil encontrar boas dicas de informática na Superinteressante do que na Info”.

Mas o twitter deles vale a pena. É melhor que a revista. E de graça.

Revista W (ou Www.com.br, da Editora Europa)

É uma revista essencialmente técnica, mas é bem “meu mundo”. Abrange quase tudo de Internet, desde redes sociais até dicas de CSS. Não é muito presunçosa, ou seja, não tenta descobrir tendências, mas apenas mostrar o que está acontecendo, e opiniões distintas de profissionais. Me ajudou bastante com idéias pro primeiro texto da série Criando seu próprio site, no Mondo Redondo.

Gostei bastante da abordagem dela. A formatação é que não é muito boa, não agrada muito à leitura, o que é irônico pra uma revista originalmente voltada a webdesigners (tá, eu sei que não é web, mas envolve bom senso estético).

Men’s Health (Editora Abril)

Me indicaram como sendo uma revista com boas dicas sobre o mundo masculino. Como se vestir, como se portar em situações formais, como se virar na cozinha, ou dicas de lazer… É, tem isso lá, ou algo parecido. Corresponde a 5% do conteúdo. Dos outros 95, 80% é fitness (e convenhamos, esse deveria ser o nome da revista, Fitness), e 15% é sobre como xavecar uma mulher, ou como agir na primeira transa, ou algo do tipo.

O que achei interessante é que a revista me passou a quase certeza de que ela é, pelo menos em sua maior parte, redigida e editada por mulheres. Cheias de fotos de “machos” sem camisa, e várias “dicas” que mais parecem súplicas do universo feminino. O curioso é que tem um viés machista.

Eu não culpo a revista por ela ser tão ruim (para mim). Certamente tem um público alvo muito específico. No qual obviamente (e ainda bem) eu não me enquadro. Talvez sirva mais para as mulheres que pra mim.

Minha Casa (Editora Abril)

Eu estava em dúvida entre algo mais voltado para arquitetura, para eu juntar idéias caso um dia resolvamos construir uma casa maior, do nosso jeito, ou algo mais voltado para decoração. Afinal, temos nossa casinha já, que é pequena, mas é legal mantê-la bonitinha, bem organizada e renovada.

Aí encontrei essa revista da Editora Abril, que se eu não me engano é nova. E é perfeita para estes casos. Tem muita dica legal para decorar, reformar ou construir. E com exemplos reais.

Tem muita propaganda também, é verdade. Mas além de tornar a revista muito barata (R$ 4,90 o exemplar), tem umas dicas úteis até. Tipo, tem lá um suporte multiuso, que na loja tal sai por tanto.

É só não querer comprar tudo que mostram que tudo bem.

Vida Simples (Editora Abril)

Eu queria uma revista com um pouco de tudo, mas tratando os temas com uma visão mais crítica, mais reflexiva. Algo com boas leituras para pensar, mas também com dicas e curiosidades “fáceis”. Vida Simples tem essa cara. Tem sim. O que pega é que muitas leituras dela chegam muito próximo de leituras de auto-ajuda (e sobre essas eu concordo com o que disse o Luiz Mendes Júnior, no Mondo).

Se eu quisesse uma revista de auto-ajuda, assinava a Playboy, convenhamos.

Mas a revista não é ruim não. Não está totalmente descartada. Aliás, talvez a melhor leitura que eu tenha feito nessas cinco revistas que citei foi uma crônica sobre Kierkegaard e a ansiedade, tema central da edição que comprei de Vida Simples.

As revistas “pop”, de frequência semanal (tipo Veja, Época ou Isto é), e que trazem notícias e reportagens sobre o que é notícia do momento, não me interessam muito. Porque é aquela coisa: um monte de informação que eu já li na Internet, ou vi na TV, com uma abordagem mais profunda, talvez, mas com prazo de validade curto também.

Claro que há revistas que eu conheço e gosto, e que não precisei comprar para “experimentar”, como a Super Interessante, e, mais ainda, a Galileu. Aliás, é bem capaz de eu optar por esta última, junto com a Revista W. Assim fujo da Abril. 🙂

anderson

3 Responses to “Escolhendo minhas leituras mensais”

  1. Eu costumo fazer a mesma coisa, a cada dois anos, mais ou menos, e compro algumas pra experimentar e ver quais assinar. Porem recebi uma assinatura da Vida Simples daqui, mas minha paciencia nao tolera. A ultima parte que li, antes de jogar a revista fora, foram “novos usos para uma meia:”
    1. Coloque uma garrafa dentro e de um no para presentar alguem.
    2. Coloque arroz dentro e faca um peso de porta.
    3. Use para tirar a poeira dos moveis.
    4. Use ao destarrachar uma lampada quente (!)
    E mais 4 que nao lembro…

    Sinceramente, ne??
    Tenho uma de decoracao, que uso so pra “ler as figuras” e outra do universo feminino que promove promiscuidade com camisinha, praticamente. Ja ja essa danca.

    Dificil tarefa. Espero que voce de sorte!
    Ja disse, mas digo de novo: o blog ta lindo!
    Beijos.

    • Haha! Pois é, a Vida Simples tem essa coisa… Ao mesmo tempo que fala de Kierkegaard e leituras clássicas, fala de coisas como essa que você citou.

      Obrigado pelo elogio ao blog. 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *