Quando a tal lei Ficha Limpa foi aprovada, o país inteiro, exceto, é claro, os políticos – e eu diria ‘os corruptos‘, se  não fosse pleonasmo – festejou a “conquista do povo”. Afinal, houve uma enorme pressão popular para que a lei fosse aprovada de imediato, antes do pleito deste ano. Recolheram milhões de assinaturas, fizeram passeatas e uma intensa mobilização pela Internet, até a importante conquista no combate à corrupção.

Não há como revogar o mérito da lei. Muito menos a importância da mobilização popular para que isso fosse posto em prática de imediato. Provavelmente muitos, como eu, se perguntaram: “ué, como é que isso não era assim antes?” É o mínimo! É o óbvio! Você não consegue emprego público concursado com a ficha suja, por que deveria pleitear um cargo público?

Agora, com a lei aprovada, e teoricamente “em prática”, a pergunta mais comum é: “será que vai pegar mesmo?

Mas eu tenho outra pergunta a propor. Uma pergunta que não sei se ando fazendo sozinho ou se mais gente questiona isso…

Será mesmo que é uma conquista a ser comemorada?

Vamos combinar, o Ficha Limpa é uma derrota social sem precedentes. Num país democrático e livre – e somos um, razoavelmente – em que a grande maioria tem acesso às informações, e pode escolher seus candidatos, precisamos de uma lei que nos impeça de eleger corruptos condenados?

Na última eleição, algum paulista não sabia que o Maluf era um ladrão sem vergonha? E ele não foi o candidato a Deputado Federal mais votado no estado? E por acaso não será um dos mais votados de novo, mesmo com a ficha “suja”?

Cabe até a pergunta se essa lei é democrática, na essência. Num ambiente democrático ideal, o povo deveria ter o poder de decidir, por exemplo, entre um candidato com uma condenação suspeita (forjada) e “leve” (contravenção irrelevante), ou um sabidamente corrupto, extremista, mas que não tem condenação (o que, todos sabem, não é raro).

Eu sei que não vivemos em uma democracia ideal. Mas fica a pergunta: vale mesmo toda essa empolgação? O Ficha Lima é um motivo de orgulho pra você?

anderson

9 Responses to “Ficha Limpa – A derrota da sociedade”

  1. Olha, infelizmente precisamos dessa lei, pois uma grande parte da população não tem acesso a informação e se tem acesso, não tem instrução para se interessar a buscar essa.
    Acredito que somente quando todos tiverem acesso a uma educação de qualidade é que poderemos abrir mão de leis como essa.
    Fora o fato que muitos já nem prestam mais atenção nas eleições e votam em partidos e não em candidatos. Pelo menos essa lei ajuda na seleção dos candidatos que entram segundo os pontos de seu partido.

    • Pois é, como eu disse, não vivemos numa democracia ideal, então é importante a lei. Só questiono o orgulho que muitos sentem dela.
      Sobre votarem mais em partido que em candidatos, eu não sei… Acho que tem muito disso, mas SP é um exemplo de que isso não é regra. Aqui a Dilma e o Alckmin devem ter maioria absoluta de votos.

  2. Eu não curto a ideia. Acho que cabe ao eleitor procurar conhecer em quem ele está votando. E acho que é sim um direito que os “ficha suja” possam se candidatar, desde que já tenham acertado suas contas com a justiça. Cabe ao eleitor julgar se o cara merece nova chance ou não…

  3. Olha… caber ao eleitor saber sobre o candidato, pode ser. Mas vejamos. Tem um bando de políticos que até os eleitores já sabem que ele é “ladrão” mas votam (e os elegem) porque gostam da teoria do “rouba mas faz” (e na verdade não faz, mas vende bem a imagem de que faz). É esse eleitor que segue (seguia?) em frente elegendo candidatos ficha-suja. Não adianda dizer que ele “tem que saber”. Muitas vezes ele já sabe, e deixa rolar.

    • Ai é que tá. Se fosse respeitar a democracia, esses deveriam ser aceitos, já que são votados pelo “povo”. A lei acaba sendo uma proteção da sociedade sobre ela mesma. Tipo: “vocês são livres pra votarem em quem quiserem, só não vale sacanagem”. A não ser as sacanagens controladas por eles.. rs.

  4. Não é motivo de orgulho, deveria ser óbvia a proibição de candidatar pessoas com a ficha suja. Mas, tendo em vista a grande massa sem acesso às reais informações a respeito dos candidatos, acaba valendo como ponto positivo. e de boas reflexões, como você propõe aqui.

    Um beijo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *