É difícil encontrar um torcedor corinthiano que não tenha saudade do Liédson no Timão. Como também é difícil encontrar um que não tenha gostado da notícia do seu retorno ao Corinthians.

O levezinho é uma das melhores escolhas possíveis para algo pelo qual eu pedia e esperava desde 2009. Um jogador de qualidade quase inquestionável, que vem para ser titular e jogar tanto no lugar do Ronaldo quanto ao seu lado. No lugar dele porque, todos sabem, o Ronaldo joga muito pouco durante o ano. E por vezes preferíamos que não jogasse realmente. E ao lado dele porque Dentinho e Jorge Henrique são, no máximo, esforçados. O segundo ainda tem um algo mais, que costumam chamar de importância tática, mas o Little Tooth, nem isso. Um inútil por completo.

Com a chegada de Liédson, o Corinthians volta a ter um atacante de fato, que não seja um gordo imóvel, um pé-murcho ou um baixinho cai-cai. A pergunta óbvia agora seria: será suficiente? No entanto, há outra pergunta mais urgente e pertinente: será que não é tarde demais?

A dúvida cabe, pois, amanhã o Corinthians define contra o Tolima, na Colômbia, seu futuro na Libertadores. E Liédson não joga. Nem chegou ainda! Não que seja nosso herói salvador, mas, sem ele, o que temos é aquele time sem ataque, que me lembra o livro do Douglas Adams. Praticamente Inofensivo. E não é que, eliminado da competição sulamericana, o ano acabe no Timão. Mas é fato que, caso o (provável) desastre aconteça, muita confusão e muitas cabeças vão rolar no Parque São Jorge. Fica difícil prever para que time o Liédson chegaria.

Não consigo deixar de imaginar como teriam sido os últimos dois anos se essa contratação tivesse sido feita na hora certa. Mas, nem é preciso ir tão longe: basta imaginar quão mais tranquilos e confiantes estaríamos agora se Liedshow tivesse desembarcado no Parque há duas, três semanas atrás…


Reveja os gols de Liédson pelo Timão no Paulistão de 2003

anderson

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *