Apesar da pobreza musical (expressão usada por Humberto Gessinger nos anos 90 para definir as músicas da Legião Urbana), Renato Russo possivelmente foi quem mais influenciou meus gostos musicais até hoje. Claro, como quase todo adolescente, sobretudo naquela época, eu ouvia muita música da Legião, e do rock nacional como um todo. Mas o principal legado não foi esse…

Renato tinha o costume de inserir em shows ou gravações para rádios trechos de outras músicas. Geralmente, as músicas que lhe havia influenciado de alguma forma, ou que estavam no contexto das músicas dele.

Já naquela época, mesmo sem a Internet, eu colecionava vários bootlegs com essas inserções, quase sempre em gravações em fita K7 de shows transmitidos pelas rádios. Outras estavam presentes no Música para Acampamentos, álbum oficial da banda com uma coletânea dessas gravações de shows e rádios.

Algumas eram canções que eu já conhecia, e de rápida identificação, como Gimme Shelter (The Rolling Stones) e Starway To Heaven (Led Zeppelin), cantadas por Renato em meio a canção Ainda é Cedo. Outras me custaram algum tempo para descobrir suas origens.

E aí entra o segundo maior contribuidor musical que tive até hoje: uma locadora de CDs que havia no centro de São Carlos, chamada Laser Express. Eu era cliente assíduo! Lá, buscava sempre artistas relacionados uns com os outros, e dos mais variados estilos e épocas. Juntando os créditos das músicas da Legião com algumas referências que lia em revistas, acabei encontrando boa parte daquelas músicas, e conhecendo também as outras dos mesmos artistas.

Abaixo, uma lista do que aprendi a gostar graças a essa brincadeira.

Janis Joplin

Até minha adolescência, era apenas um nome do qual tinha ouvido falar. Não era o tipo de música que rolava nos meios em que eu vivia. Mas quando descobri a origem daqueles versos no fim de Música Urbana 2, do álbum Músicas para Acampamento, adorei. Adorei, primeiro, a versão completa de Mercedes Benz, e depois as outras canções da Janis (também citada na música Dezesseis).

Música preferida: Ball and Chain

Neil Young

On The Way Home também entrou no álbum Músicas para Acampamentos, não como uma inserção em outra faixa, mas como uma faixa isolada mesmo, extraída do acústico gravado para a MTV. Depois conheci outras músicas do Neil Young, e também de sua ex-banda Buffalo Springfield, do clássico For What It’s Worth.

Música preferida: Hey Hey My My

Joni Mitchel

Autora de The Last Time I Saw Richard, tocada no acústico da MTV da banda, e definida por Renato como “a maior poeta do rock”, Joni é esplêndida! Tem músicas lindas, cortantes e apaixonantes.

Música preferida: A Case of You

Flávio Venturini

O ex-14 Bis é o autor de Nascente, cantada na introdução da música Soldados, também presente no álbum Música para Acampamentos. Com ele Renato também compôs a música Mais uma Vez, gravada pelo 14 Bis em 1987. Após a morte de Renato, uma versão dessa música com sua voz foi incluída no álbum Presente.

Música preferida: Noites com Sol

Outras tantas bandas eu não posso dizer que conheci assim, mas certamente passei a ouvir mais por influência de inserções, citações e coisas do tipo, como os próprios Beatles, o Cazuza, e até Prince e Madonna (tá, esses eu não ouvi muito, mas se gosto um pouco hoje é graças as versões do Renato de When Doves Cry, Like a Prayer e Cherish).

Nota 1:. Só no meio da música Ainda é Cedo, entre um show e outro, Renato Russo cantou Gimme Shelter (Rolling Stones), Like a Prayer (Madonna), When Doves Cry (Prince), Starway to Heaven (Led Zeppelin), Mercedez Benz (Janis Joplin), entre outras músicas que não me lembro agora, ou que nunca consegui identificar. A explicação é que eram músicas que ele ouvia na época em que estava com a menina referida na música.
Nota 2: outras influências fortes nos meus gostos musicais foram o violão (é normal eu gostar de sons que gosto de tocar), os amigos virtuais e as redes P2P (por exemplo, o Soulseek), que me apresentaram muitas bandas alternativas, indies, ou quase isso.
Nota 3: tanto quanto era moda ouvir Legião na adolescência nos anos 90, e virou mais ainda após sua morte, agora é moda dizer que odeia. Então, se você ía fazer essa observação, não precisa… É dispensável. Afinal, esse não é um post sobre a qualidade das músicas da turma de Renato Russo.

anderson

2 Responses to “O legado musical”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *