A maioria dos visitantes deste blog e/ou meus amigos (normalmente as duas coisas coincidem) já devem conhecer o site Os Comilões. Ele foi criado com o propósito de compartilhar opiniões e dicas sobre restaurantes, bares e lanchonetes de São Carlos (a princípio). A idéia nunca foi apresentar uma opinião formal, como explicamos na seção QuemRead more »

O Atari deve ter sido o primeiro video game de todas as crianças que hoje tem mais de 30. Foi também o  primeiro lá em casa. E era daquele modelo mais clássico, o 2600, até meio feio, mas que na época, nossa! E ganhamos ele até que cedo, provavelmente em 84 (foi lançado no BrasilRead more »

Que feio, depois de mais de um mês sem escrever no blog, estou apelando para um texto velho. Este foi escrito no blog antigo, o Rapsódia, em 12/04/2005. Mas há pelo menos duas boas razões (desculpas) para eu requentá-lo aqui, agora. O primeiro, óbvio, é pra tirar a poeira de cá e ir aquecendo paraRead more »

A famosa Lei da Palmada – que proíbe que pais, professores e outros usem de castigos corporais em crianças  – tem caráter assertivo, tal como a política de cotas amplamente adotada para acesso às universidades. Há quem ache ótimo medidas assertivas e afirmativas para intervir com imediatismo em “equívocos” sociais e culturais. Eu não gosto. TenhoRead more »

Cheguei um pouco tarde para ver a brilhante passagem do Dr. Sócrates pelo Timão. Nascido em 80, tinha apenas dois anos em 82, três em 83, e minhas lembranças mais remotas de torcedor Corinthiano são de 85, mais ou menos. Ainda assim, vi Sócrates exibir seu elegante futebol na Copa de 86, que foi tãoRead more »

Não sei se todo mundo já teve a curiosidade de procurar na Web por homônimos. Às vezes nem é curiosidade, simplesmente esbarramos em algum ao tentar criar um perfil, um nick, ou num dígito errado que colocamos, ou num endereço indisponível que queremos saber quem está usando… No meu caso, um homônimo completo, ou seja,Read more »

Eu já era contra a incursão da PM na USP desde antes dela acontecer, porque o desfecho era previsível. E não precisa voltar aos anos 60 para entender, basta lembrar disso ou disso. Não estou muito a fim de me alongar nesse debate de prós e contras, porque os argumentos que costumam apresentar colocam muitos defensoresRead more »

Devo confessar que comecei este texto pelo título, embora normalmente deixe-o por último. A razão para esta inversão foi a decisão sobre usar ou não a palavra “ídolo”. Normalmente ela causa certa repulsa nas pessoas. Se nos restringirmos à definição mais estrita do verbete, realmente, não há adoração devida que não seja a Deus (pelaRead more »

Há uma tendência crescente entre jornalistas-blogueiros. A de escrever tudo assim… Uma coisa por linha. Sem parágrafos. Ou com todas as orações tranformando-se em um novo. Eu não sei quem começou com isso. Mas virou moda. Gente boa, que admiro, ou admirava, agora escreve assim… Talvez porque sintam-se mais inteligentes. Querem reinventar a escrita. DizemRead more »

Meu texto preferido dos vigésimos terceiros dias de setembro, por razões óbvias, desde 2004, quando o publiquei no Mondo Redondo. A julgar por tua beleza natural, pela fragrância que emites silenciosa, pelo néctar que ofereces ao admirador, ou pelas cores que de ti a mim refletem, poderia afirmar que és a mais bela flor, frutoRead more »

« Página anteriorPróxima Página »