Já há alguns anos, São Carlos não permite a realização dos famosos rodeios – aquela coisa do boi pulando com um animal montado em seu lombo – tão populares no interior paulista. O argumento principal para a proibição (ou inibição, não sei ao certo) é a alegação de que os animais sofrem maus tratos. Essa peleja tem produzido debates fervorosos nos últimos anos na cidade, inclusive com o surgimento de fanáticos grupos de apoio e de repúdio aos rodeios, passando invariavelmente pela política local.

Neste último final de semana (de 28 a 31 de Julho) aconteceu o XXV Rodeio de Ibaté, cidade vizinha de mais fácil e rápido acesso ao São-carlense. E aí, é claro, suscitou novamente o debate e a troca de gentilezas entre as partes, para não falar do chororô recorrente. Os pró-rodeio tentando demonstrar quão bonita e lucrativa é a festa que São Carlos “está perdendo”, e os anti-rodeio agradecendo por não ter isso aqui, ao mesmo tempo em que reclamam que exista lá (até porque, aqui ou ali, dá praticamente na mesma).

O debate é válido, os dois lados tem suas razões e seus exageros. Triste são os argumentos das partes. De um lado, político falastrão que defende que “boi de rodeio nasceu pra rodá e pulá”, e coisas do tipo. Do outro, onde costumo me colocar inclusive, vejo gente criticando os rodeios porque “odeio esse tipo de música e de festa”. Essa semana li que alguém é contra rodeio porque “só dá gente feia”.

Quando a coisa começa a descambar para o preconceito e desrespeito à diversidade cultural, perde-se a razão.

Em 2009 foi feita uma consulta pública pela Câmara de Vereadores de São Carlos sobre a realização de rodeios na cidade. Eu enviei na época a minha opinião, que é a mesma que mantenho hoje e reproduzo abaixo:

 

anderson

5 Responses to “Sem rodeios nem preconceitos”

  1. Cara, concordo. Essas festas na maioria das vezes se sustentam sendo que a maioria das pessoas nem veem o boi? Pra que coloca-los entao?

    Daria ate pra melhor a estrutura para assistir o show (no lugar de terra poderiam tapar e por madeira sei la, mais arquibancadas)

  2. Eu não poderia concordar mais com vc. A minha única raiva com esse tipo de festa é o sofrimento dos animais. Já morei no interior e infelizmente já vi isso de perto. Mas a festa em si poderia mto bem ser realizada sem eles!

  3. Como que é a legislação municipal? Creio que não haja proibição a “festas sertanejas”, certo? Basta haver interesse de algum organizador em fazer isso.

    Sobre rodeios, muita gente que vai gosta sim de ver os peões caindo dos touros. Talvez seja questão de haver mais fiscalização, que combata os maus tratos aos animais.

    • Eu não sei exatamente como é a legislação, nem para rodeios, nem para as festas. Mas as festas certamente são possíveis, de uma forma ou de outra. O que precisa é de uma mente empreendedora que organize a primeira, mostre os moldes, e que é possível fazer o evento de uma forma diferente e com o mesmo sucesso. Quem sabe isso pudesse partir dos próprios anti-rodeios?

      Com certeza muita gente gosta das montarias. Só não acho que passe da metade do público que costuma ir. Que gosta REALMENTE do negócio, eu chutaria que não chega a 10%. Mas é chute. De qualquer forma, é o que eu disse. Se não satisfizer plenamente a todos, atende os principais anseios da grande maioria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *