Com a incompetências de empresas prestadoras de serviço o brasileiro aprendeu a conviver. Não que aceite, nem deve, mas já se acostumou. O duro mesmo é lidar com desonestidade, canalhice. E é esse hoje o maior problema da Telefônica.

Mas se a empresa espanhola já trazia essa fama há tempos, por que, mesmo assim, eu ainda insistia em ser cliente dela?

Explico.

Desde quando me mudei para minha atual casa no final de 2006, e até meados de 2010, a única opção de Internet Banda Larga na minha região era o Speedy. E, como sabemos, é impossível ter Speedy sem ter uma linha telefônica da mesma empresa (ou se não é impossível, tornam inviável). Para TV por assinatura, optei inicialmente pela NET, mas como ofereceram descontos para adesão à TV Digital Telefônica, e como eu já estava amarrado à empresa, eu troquei. Este foi meu primeiro erro.

Em Janeiro de 2010 resolvi cancelar os serviços de TV, que vamos combinar, são uma porcaria (imagem pixelizada, de baixa definição). Já havia agendado a entrega dos decodificadores quando me ligaram com uma proposta tentadora: eu pagaria apenas 30 reais pelo mesmo pacote, ficaria isento de pagamento do ponto adicional, e ainda ganharia 50% de desconto na mensalidade do Speedy, para sempre, mesmo que posteriormente eu cancelasse a TV novamente.

Aqui vale um parênteses: quem é cliente do Speedy há vários anos, provavelmente passou pelo mesmo problema. Você assina um plano de, sei lá, 60 reais, e vê reajustes anuais sobre ele que o levam a 100. Ainda que o mesmo plano seja vendido para novos usuários por uns 50. Aí você liga para migrar para um plano inferior, e isso não é possível. Então sugere cancelar seu plano, e assinar um novo, e aí dizem que não garantem a disponibilidade do serviço, porque “há fila de espera” (não para novos usuários, provavelmente). Ou seja, você está preso num plano que vai tomando proporções estratosféricas.

Voltando à oferta, é claro que topei. Afinal, poderia aproveitar o desconto do Speedy e cancelar a TV alguns meses depois. E foi aí que cometi meu segundo erro. Neste intervalo de tempo, assinei os canais PFC (canais pay-per-view de futebol), cujo contrato tinha durabilidade mínima de oito meses (e isso é bem questionável, mas enfim…). Neste mesmo período, a NET, finalmente, passou a oferecer o serviço de banda-larga Virtua para a minha região. O preço da combo com TV, Internet e Telefone era bom, mas a Telefônica ainda dava todos aqueles descontos…

Até que, do nada, a conta da TV Digital triplicou! Fui ver o extrato, e o desconto concedido simplesmente cessara! Liguei para questionar e me disseram que o desconto era temporário. Só que a essa altura eu já estava preso pelo contrato do PFC, cuja multa para cancelamento quase equivalia a continuar com o plano.

Somente no mês passado, quando finalmente encerrou-se o contrato com o PFC, pude pedir o cancelamento da TV da Telefonica. Só que como continuava pagando muito pouco pelo Speedy, com o desconto concedido, não optei pela combo da NET, e sim pela TV da Via Embratel, que tem qualidade de imagem melhor e plano HD opcional.

Para minha surpresa (se é que ainda dá para surpreender-se com isso), ontem, em meu terceiro dia com linha muda, e eu pensando seriamente em me livrar definitivamente dessa empresa sem vergonha, me chega a fatura mensal, sem o desconto (lembra aquele “eterno”?) do Speedy.

Chega, eu desisto de lidar com essa empresa. Faz mal para o bolso e para a saúde. Só não vou poder trocar pela combo da NET, porque agora é com a Embratel que tenho contrato com fidelidade de um ano. Mas que seja só o NET Fone e o Virtua, ou só o Livre… Chega desses “espanhóis” malditos!

anderson

11 Responses to “Telemuda”

  1. Há quase dois anos morando aqui aguardamos a disponibilidade da net. Por enquanto sofremos – muito – com a telefônica e tva.
    Efim a net chegou. Estamos avaliando os combos e, quem sabe, esperando nos dar bem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *