Cliquem nos nomes das músicas para ver a letra completa no site letras.mus.br. Tem também a “tradução” das músicas em inglês.

10ª – Love Will Tear Us Apart

A música é super animadinha, e também não é novidade música falando de conflitos amorosos (se essa lista fosse se basear nisso, dava pra completá-la só com músicas “goianas”).

Mas uma música que logo no nome diz que o amor vai nos separar? Não poderia ficar de fora da lista…

9ª Suedehead (Morrissey)

É outra que engana pelo ritmo, mas quando cai no refrão, não tem erro…

I’m so sorry
I’m so sorry…

Não que seja algo anormal o cara ficar pedindo desculpa na música, mas a repetição e o tom melancólico do Morrissey tornam a coisa ainda mais suicida.

Mas minha parte predileta nessa música é:

I’m so very sickened
Oh, I am so sickened now

8ª Sentimental (Los Hermanos)

Uma das melodias e arranjos mais depressivo da banda, já considerada depressiva por si só. O problema não está no “personagem” da música se considerar o cara mais sentimental do mundo. O problema é o que ele faz desse sentimentalismo todo.

Saca esse excerto:

De tanto eu te falar
Você subverteu o que era um sentimento e assim
Fez dele razão pra se perder
No abismo que é pensar e sentir

Ela é mais sentimental que eu
Então fica bem
Se eu sofro um pouco mais

7ª Dying (Hole)

Encarar a Courtney Love já seria motivo suficiente pra induzir a um suicídio (Kurt Cobain que o diga). Agora imagina ela morrendo, cantando uma música com este nome?

I am so dumb
Just beam me up
I’ve had it all forever
I’ve had enough

Remember, you promised me
I’m dying, I’m dying, please
I want to, I need to be
Under your skin

6ª Não amo Ninguém (Barão Vermelho/Cássia Eller)

A música do Barão, regravada pela Cássia, entrou pra lista das minhas preferidas numa época de pós-relacionamento, onde eu estava bem sozinho. Talvez seja até uma música de libertação, mas merece constar na lista pelo título, e porque me lembro dela todo dia, por conta do trecho abaixo.

Não sei por que toda manhã
Toda manhã parece um parto

5ª You’ve Lost That Love Felling (Righteous Brothers/Bill Meddley)

Sempre fui apaixonado por esta música. Uma melodia romântica, suave… Porém, quando aprendi o mínimo de inglês para entender sua letra, vi que ela não tinha absolutamente nada de romântica.

You never close your eyes anymore when I kiss your lips
And there’s no tenderness like before in your fingertips
You’re trying hard not to show it, (baby)
But baby, baby I know it…

You’ve lost that lovin’ feelin’

4ª Mal Nenhum (Cazuza)

Tá que no fim da vida o Cazuza tenha composto algumas músicas na mais profunda depressão, mas em 1985, quando lançou seu primeiro álbum solo, ele sequer sabia que era portador do HIV. E nele havia essa música, que para muitos depressivos, é um mantra.

Nunca viram ninguém triste?
Por que não me deixam em paz?
As guerras são tão tristes
E não tem nada demais

[..]

Eu não posso causar mal nenhum
A não ser a mim mesmo
A não ser a mim mesmo
A não ser a mim…

3ª Creep (Radiohead)

Quando eu pedi ajuda pros meus seguidores no Twitter pra elaborar esse ranking, essa foi a música mais citada. Mas já estava na minha lista também. Não poderia faltar. E quem me lê há mais tempo talvez se lembre de um post clássico do Rapsódia onde fiz uma livre interpretação da letra. Dá pra entender bem porque ela figura aqui.

I wish I was special
you’re so fucking special
but I’m a creep
I’m a weirdo
what the hell I’m doing here?
I don’t belong here

2ª Clarisse (Legião Urbana)

A música é suicida. Isso não é um exagero. Ela conta, numa narrativa e, principalmente, numa interpretação absolutamente fúnebre do Renato, a história de uma adolescente suicida. E não é difícil acreditar que a própria música tenha motivado novos suicidios, dá uma olhada:

E Clarisse está trancada no banheiro
E faz marcas no seu corpo com seu pequeno canivete
Deitada no canto, seus tornozelos sangram
E a dor é menor do que parece
Quando ela se corta ela se esquece
Que é impossível ter da vida calma e força

Leia o resto da letra, ouça, mas por favor, não se mate!

1ª Longe do Meu Lado

Dobradinha do Renato Russo na ponta da lista. E se Clarisse narra a história de uma suicida, é essa quem realmente dá vontade cortar os pulsos. Com uma melodia arrastada, bem carregada, a quarta faixa do álbum considerado o mais melancólico da banda (mas tenho certeza que essa fama é culpa dessa música, porque as outras nem são tanto assim) traz na letra um tom de desesperança e desapego que fariam o jovem Werther, de Goethe, se sentir uma pessoa abastada, plena.

A paixão quer sangue e corações arruinados
E saudade é só mágoa por ter sido feito tanto estrago
E essa escravidão e essa dor não quero mais
Quando acreditei que tudo era um fato consumado
Veio a foice e jogou-te longe
Longe do meu lado

E você? Lembra de alguma música absolutamente deprê? Conte-me!